Política

Juizados voltam ao trabalho após fim da greve dos servidores

Servidores aprovaram fim da greve, mas negociações continuam
Servidores aprovaram fim da greve, mas negociações continuam

Na última quarta-feira (5) trabalhadores do Judiciário baiano suspenderam, durante reunião em assembleia, a greve da categoria. Foram 16 dias de greve em todos os Juizados Especiais do estado.

De acordo com o Sindicato dos Servidores dos Serviços Auxiliares do Poder Judiciário do Estado da Bahia (Sintaj), o expediente nas unidades judiciárias voltou ao normal na última quinta-feira (6).

Ainda de acordo com o Sintaj, a greve foi suspensa após os servidores aceitarem a proposta feita pela presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), desembargadora Maria do Socorro Santiago, que se comprometeu a implantar o pagamento da correção da tabela do Plano de Cargos e Salários (PCS) no mês de outubro e a encaminhar para a comissão de reforma o projeto elaborado pelo sindicato que estabelece uma remuneração mínima para os servidores.

O sindicato afirma ainda que a mesa de negociação continuará aberta para discutir outros pontos da pauta dos trabalhadores, como o pagamento do reajuste linear. Durante a greve, apenas 30% do efetivo estava em atividade nas unidades judiciárias, que vão priorizar a expedição de liminares de urgência, como casos de saúde e religamento de água e luz.

“Ainda bem que acabou a greve, estou com uma liminar pra ser julgada há 14 dias. O que era pra ser de urgência teve que esperar o fim da greve. Espero que seja brevemente resolvido”, disse o jurisdicionado Felipe Santos. Ele ingressou com pedido de liminar para cancelamento de uma passagem, marcada para o dia 23 de junho, após a empresa negar o cancelamento e restituição da quantia paga.

  • Criado em .

Jornal Agora

Rua Juca Leão, 65, Centro, Itabuna - BA
Telefones: (73) 3613-5504
Fundado em 28 de julho de 1981 Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

© Copyright 2009 / 2017 Jornal Agora   |   Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: