Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Notícias

Justiça Restaurativa começa a ser aplicada com internos do Conjunto Penal de Itabuna

O ciclo reflexivo realizado no Conjunto Penal de Itabuna
O ciclo reflexivo realizado no Conjunto Penal de Itabuna

A Justiça Restaurativa é um mecanismo de transformação social, uma vez que abre caminho para a forma participativa de promoção da paz social.

O juiz Eros Cavalcanti, acompanhado dos orientadores Ricardo Borges de Santana, Lucrécia Coelho Lima Branco e Elisandra Arcanjo dos Santos, realizou, na manhã de quinta-feira (5), o primeiro encontro com internos do Conjunto Penal de Itabuna visando à aplicação dos conceitos da Justiça Restaurativapara resolução de conflitos.

De acordo com o juiz, que responde pela 1ª Vara Crime de Itabuna, inicialmente foi realizado um ciclo reflexivo, em que as pessoas são levadas a pensar em si mesmas, desfazendo resquícios de vitimização e focando na busca das causas e do que as levou a estarem na situação atual. “A gente provoca, dá as ferramentas, mas essa ressignificação deve partir da pessoa. Ela deve se refazer como pessoa, buscar a mudança de atitudes, o que refletirá na mudança propriamente dita, nessa reconstrução”.

O juiz convidou o diretor do conjunto Penal de Itabuna, capitão PM Adriano Valério Jácome a abraçar essa modalidade de resolução de conflitos e promoção da ressociabilização dos internos. “Oportunamente, gostaria de ver aqui uma equipe de técnicos e orientadores assumindo essa responsabilidade, com a certeza que trará bons frutos para a unidade e para os reeducandos”, disse.

O diretor Adriano Jácome se comprometeu a promover o conceito entre os profissionais do Corpo Técnico e efetivar, em breve, a parceria com o Tribunal de Justiça, como órgão afim, para a implantação de uma equipe voltada à adoção da Justiça Restaurativa no âmbito do presídio de Itabuna. “Conhecemos o projeto e nos interessamos pela sua mais breve implantação, com a supervisão do nosso magistrado Eros Cavalcanti e sua equipe”.

 

O que é

Missão da Justiça Restaurativa

  • Ter como referencial de ação as práticas restaurativas, neutralizando a intervenção penal formal do Estado;
  • Utilizar uma metodologia pluridisciplinar que possibilite vias adequadas de resolução do conflito gerador do delito;
  • Agir por meio da escuta compassiva, da mediação vítima – ofensor e dos círculos restaurativos de consenso;
  • Facilitar o entendimento entre os envolvidos;
  • Prestar apoio à vítima;
  • Promover a restauração e reparação da vítima, assim como a inclusão social do ofensor;
  • Responsabilizar o ofensor pelos seus atos em relação à vítima e à própria comunidade;
  • Apoiar e controlar o cumprimento do acordo restaurativo firmado pelas partes.

A Justiça Restaurativa tem como ferramenta de atividade o consenso e, para alcançá-lo, vítima, ofensor, terceiros afetados pela infração e membros da comunidade refletem, transformam e constroem soluções para os conflitos.

A Justiça Restaurativa é um mecanismo de transformação social, uma vez que abre caminho para a forma participativa de promoção da paz social, dando possibilidade de conciliação às vítimas e, aos agressores, de resolverem os transtornos oriundos dos conflitos sociais. (Fonte: TJ-BA)

  • Criado em .

Jornal Agora

Rua Juca Leão, 65, Centro, Itabuna - BA
Telefones: (73) 3613-5504
Fundado em 28 de julho de 1981 Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

© Copyright 2009 / 2017 Jornal Agora   |   Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: