Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Esportes

Na último final de semana em Abu Dhabi, o Grêmio até tentou, foi valente, ganhou a primeira partida por 4 x 1 do Al Jazira, mas acabou derrotado por 1 x 0 para o Real Madrid, com gol de falta de Cristiano Ronaldo, no Zayed Sports City.

Mesmo sem o bi mundial, o Tricolor fez bonito, desfilou o melhor futebol do Brasil para o mundo inteiro. Perdeu para o Real Madrid, mas deu uma lição de boa administração e cultura tática, orquestrada por um gestor de grupo sem igual chamado Renato Portaluppi.

 

O jogo

Numa estratégia semelhante a que Renato fez contra o Lanús, na final da Libertadores, o Grêmio mordeu a saída de bola adversária no início do jogo. Logo aos dois minutos, Geromel aplicou uma “chegadinha” na canela de Cristiano Ronaldo, da qual o português reclamou bastante. Com o passar dos minutos, a blitz gaúcha reduziu, ao passo que os merengues assumiram a posse de bola. Embora tamanha qualidade técnica, faltava repertório ao Real e sobraram bolas alçadas para a área.

Em sequência de escanteios, Sergio Ramos superou a defesa gremista por duas vezes, mas faltou finalização do lance. Aos 23, Modric bateu à esquerda de Grohe. A única chance dos brasileiros veio com Edílson, em cobrança de falta, bem como Cristiano Ronaldo assustou da mesma maneira. Aos 37, o melhor jogador do mundo abusou do preciosismo dentro da área e foi parado por um carrinho soberbo de Kannemann.

Assim como encerrou na primeira etapa, o Real voltou melhor para o segundo tempo. Encontrou um Grêmio recuado e logo abriu o placar aos sete minutos. Sempre tão iluminado, num ano perfeito, Marcelo Grohe não teve culpa no gol sofrido. Em cobrança de falta frontal, Cristiano Ronaldo nem pegou tão bem na batida. Só que a bola transpôs a barreira, entre Luan e Barrios, e morreu no canto esquerdo.

O gol assustou o time gaúcho e o Real passou a encontrar espaços, antes inimagináveis. Aos 12, Benzema escorou de cabeça para Cristiano Ronaldo, que bateu no canto de Grohe. Mas o árbitro Cesar Ramos anulou por impedimento do francês, por milímetros. Pouco depois, o croata Modric caprichou no chute de fora da área. E Grohe se espichou todo para evitar o segundo gol. A bola rebateu na trave. Grohe ainda fez duas defesas espetaculares, em chutes de CR7 e Bale, que havia entrado na vaga de Benzema.Os merengues gastavam o tempo, giravam,valorizavam a bola.E foi assim até o apito final, o qual conquistou justamente o Mundial de Clubes.

  • Criado em .

O craque Kaká anunciou na semana passada, em rede nacional, sua aposentadoria como jogador profissional de futebol. Após declarar que não iria renovar com o Orlando City, time que defendeu nos Estados Unidos nos últimos anos, o meia deixou em aberto seu futuro no esporte. No entanto, ele revelou oficialmente sua aposentadoria dos gramados em entrevista para a TV Globo.

Em nota, disse à imprensa: “Foi uma decisão muito consciente, cheguei à conclusão de que é o momento de encerrar a carreira”, declarou o jogador de 35 anos. A minha palavra final é que o ciclo da minha carreira como jogador profissional se encerra para mim”, disse o craque.

Com três Copas do Mundo no currículo e um prêmio de melhor jogador do mundo em 2007, Kaká afirmou que planeja seu futuro trabalhando nos bastidores do futebol. No entanto, não revelou qualquer plano mais específico ou projeto em sua meta de atuar como gestor ou manager.

O meia foi revelado pelo São Paulo, onde realizou sua primeira partida como profissional em 2001. Foi vendido para o Milan, da Itália, em 2003, onde ganhou reconhecimento mundial, conquistou a Liga dos Campeões da Europa na temporada 2006/2007, faturou o título do Mundial de Clubes em 2007 e ficou até 2009, quando transferiu-se para o Real Madrid.

No clube espanhol, Kaká não teve sucesso, apesar de participar de conquistas do clube. Neste período, ele sofreu com lesões e ganhou poucas oportunidades como titular do técnico José Mourinho.

Foi, então, emprestado para o Milan em 2013 e no ano seguinte assinou com o Orlando City, onde ficou até este ano com breve passagem pelo São Paulo por empréstimo em 2014. No clube paulista, havia a expectativa de que Kaká encerrasse sua carreira com mais uma passagem pelo clube, em 2018.

Pela seleção brasileira, o meia participou da conquista do penta na Copa do Mundo de 2002, no Japão e na Coreia do Sul. Depois, foi campeão também nas edições de 2005 e 2009 da Copa das Confederações. Ele esteve nos Mundiais de 2006 e 2010, quando a seleção foi eliminada nas quartas de final nas duas edições.

 

Legendas:

 

Kaká fez a primeira partida como profissional em 2001 pelo São Paulo

 

kaká não renova com o time do Orlando em função da aposentadoria

  • Criado em .

Chapecoense reencontra Nacional-URU, e Vasco terá Universidad Concepción-CHI pela frente

 

Grêmio, Cruzeiro, Corinthians, Palmeiras, Santos, Flamengo, Vasco e Chapecoense já sabem os primeiros adversários que terão pela frente na Libertadores 2018. A Conmebol sorteou os duelos da competição continental na quarta-feira (20), em sua sede no Paraguai, e definiu confrontos das fases prévias e os grupos. Confira

Na fase prévia, a Chapecoense vai reencontrar o Nacional-URU, clube que já enfrentou na edição de 2017. Caso avance, terá que encarar o vencedor de Banfield-ARG x Independiente Del Valle-EQU para chegar nos grupos. O Vasco pega o Universidad Concepción-CHI, que garantiu vaga pouco depois do sorteio ao bate o Unión Española-CHI. Caso passem, os cruz-maltinos enfrentarão em sequência quem passar de Jorge Wilstermann-BOL x E3 (Oriente Petrolero-BOL e Universitario-PER).

Se chegarem à fase de grupos, Chapecoense e Vasco encontrarão outros brasileiros - Santos e Cruzeiro, respectivamente. River Plate x Flamengo, Corinthians x Independiente e Boca Juniors x Palmeiras estão entre os principais duelos da etapa. Grêmio e Corinthians são os únicos brasileiros que conhecem todos os adversários nos grupos.

  • Criado em .

O Vitória mantinha o empate de 1 x 1 no Barradão contra o Flamengo quando aos 50 minutos do 2º tempo, o time carioca virou o placar com gol de pênalti de Diego, garantindo vaga na fase de grupos da Libertadores para o Flamengo. Por poucos segundos torcedores e jogadores do Rubro-baiano amargavam o rebaixamento. O drama só não foi maior porque a Chapecoense nos acréscimos fez o gol que rebaixou o Coritiba e salvou o Leão.

  • Criado em .

 São Paulo e Bahia entraram em campo no último domingo (2), no estádio do Morumbi, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, com o sonho de uma vaga na Libertadores na bagagem. Mas o resultado não favoreceu a nenhum dos lados. A partida terminou empatada por 1 x 1 e marcou a despedida de Lugano como jogador do Tricolor paulista. Apesar de não conseguirem a vaga na Libertadores, garantiram presença na Sul-Americana.

 

  • Criado em .

O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes, destacou, após a final do campeonato Interbairros 2017, que aconteceu neste sábado (02), no estádio municipal Luís Viana Filho, tomado por mais de 10 mil torcedores, a força do esporte amador itabunense como fator de desenvolvimento e inclusão social. Ele elogiou o nível técnico dos times participantes do campeonato e parabenizou as equipes da Mangabinha e do São Lourenço que fizeram uma final emocionante. A Mangabinha sagrou-se campeã do Campeonato Interbairros 2017 ao vencer o São Lourenço por 3 x1.

Ao comentar que a realização do Interbairros 2017 se deu através do esforço da diretoria de esportes da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), o prefeito Fernando Gomes falou sobre a superação das dificuldades enfrentadas pela escassez de recursos que atinge os municípios brasileiros, o que é mais um obstáculo que a gestão vem superando. Ele ressaltou que, mesmo diante de adversidades, foi possível organizar o melhor Interbairros dos últimos 10 anos.

O prefeito lembrou que, oito anos depois, os times participantes voltaram a receber da prefeitura os uniformes para a competição e todo o material esportivo complementar, a exemplo das bolas doadas aos times. Segundo Fernando Gomes, foi graças a esse apoio e à valorização do esporte amador que o campeonato atraiu ainda mais os olhares e a atenção da comunidade grapiúna, que hoje discute a ausência de uma equipe local na disputa profissional do Campeonato Baiano de Futebol.

“Esse estádio lotado é a prova de como o esporte é importante pra nossa cidade. Esporte é cultura, é união dos povos, independente de quem sai vencedor”, disse o prefeito destacando a participação popular no Interbairros 2017. Para Fernando Gomes, o crescimento do esporte amador no município só contribui com a integração das comunidades e “proporciona mais uma opção de lazer para a família de Itabuna”..

  • Criado em .

“Bola pro mato que é jogo de campeonato”. Se você já escutou essa frase, saiba que ela nunca fez tanto sentido como na final do Interbairros 2017. Foi com muito empenho que, diante de 10 mil apaixonados por futebol, os times da Mangabinha e do São Lourenço fizeram uma final emocionante e com excelente nível técnico.

A partida começou com a equipe da Mangabinha buscando o gol desde o início da partida procurando envolver o time adversário. Logo aos 5 minutos a primeira jogada de perigo aconteceu com uma bola alçada na área do São Lourenço, que respondeu puxando um rápido contra-ataque. O lá e cá permaneceu durante os 25 minutos iniciais até a paralisação para hidratação, medida recomendada pela FIFA em jogos disputados sob calor intenso.

A parada parece ter recarregado as forças da equipe da Mangabinha que logo na volta, aos 29, Nininho abriu o placar de cabeça, após bola levantada na área em precisa cobrança de falta. O São Lourenço ainda tentou reagir no primeiro tempo, mas não foi efetivo em suas ações.

O segundo tempo voltou ainda mais intenso que o primeiro e o time da Mangabinha seguiu aproveitando melhor as chances. Aos 4 minutos, a defesa do São Lourenço não acompanhou o lance e a Mangabinha fez outro gol de cabeça, através do lateral esquerdo Wescley, evidenciando o ponto forte do time através de cruzamentos na área. A torcida ainda comemorava o gol, quando em falha na saída de bola do São Lourenço, o time da Mangabinha ampliou, fazendo 3x0 antes dos 13 minutos do segundo tempo numa jogada complementada por Nininho.

Após levar o terceiro gol, o São Lourenço ensaiou uma reação e voltou a pressionar. Aos 15, o time teve um pênalti assinalado e convertido pelo atacante Vinícius. A emoção voltou ao jogo com o São Lourenço se alçando ao ataque e a Mangabinha à espera de um contra-ataque. Numa dessas jogadas, aos 18 minutos, a Mangabinha teve a chance de fazer o seu quarto gol, em pênalti marcado pelo juiz. Na cobrança, goleiro contra goleiro e o do São Lourenço levou a melhor, defendendo a cobrança.

Aos 25 minutos, nova parada técnica para hidratação. Os minutos finais foram de muita pressão da equipe do São Lourenço, que tentava reagir, com a Mangabinha tentando esfriar o jogo ao manter a posse de bola. Ouvia-se “olé” em parte do estádio, enquanto o São Lourenço continuava buscando diminuir o placar, missão que ficou ainda mais difícil aos 32 minutos, após o time perder um de seus defensores que levou cartão vermelho e foi para o vestiário mais cedo. A partir daí, restou à Mangabinha tocar a bola e esperar o apito final.

No fim, a comemoração da torcida da Mangabinha, campeã do Interbairros 2017. Engana-se quem pensa que o São Lourenço não comemorou. A sua torcida também fez a festa pelo vice-campeonato e o que se viu no estádio Luís Viana Filho foi mais um daqueles dias históricos, com 10 mil pessoas comemorando a força do esporte de Itabuna. Torcedores da Mangabinha e do São Lourenço tiveram o reforço de torcedores dos 55 times que disputaram o certame em 2017 e vibraram com um campeonato de paz e do povo.

 

 
Ao todo foram 55 times que disputaram o campeonato em 2017

 

  • Criado em .

Renato Gaúcho é o primeiro brasileiro campeão da Libertadores como jogador e agora técnico com o tri da América

.

 

 

Pela terceira vez em sua história, o Grêmio é campeão da Libertadores da América. Com uma atuação irrepreensível, principalmente no primeiro tempo, o time gaúcho calou as arquibancadas do estádio La Fortaleza, na Argentina, ao derrotar o Lanús por 2 x 1 na última quarta-feira (29). Fernandinho e Luan, com um golaço, foram os heróis da conquista e fizeram a festa dos milhões de gremistas pelo Brasil.

Mas o Grêmio teve muitos outros destaques na partida. A começar por Renato Gaúcho, que cumpriu a promessa de levar uma equipe ofensiva a campo, mesmo com a vantagem de ter vencido na ida por 1 x 0, e anulou completamente o Lanús no primeiro tempo, quando sua equipe marcou os dois gols. Na etapa final, então, foi só administrar o resultado diante de um adversário já combalido.

Se a expectativa era de um jogo tenso, até pelo que foi visto em Porto Alegre, o Grêmio tratou de resolver com um futebol de muita qualidade. Pressionando a marcação adversária e com Luan inspirado, praticamente garantiu a conquista na primeira etapa. Na segunda, nem mesmo o susto com o gol de Sand, de pênalti, impediu a festa.

Com o triunfo, o atual time do Grêmio repetiu o feito das gerações de 1983 e 1995 campeãs da Libertadores e ainda garantiu vaga no Mundial de Clubes, que será disputado em Abu Dabi em dezembro. O time gaúcho venceu o mundial em 1983 e espera trazer para o Brasil a segunda vitória.

 

O jogo

Para quem esperava um Lanús ofensivo, pressionando o Grêmio, viu logo nos primeiros minutos justamente o cenário inverso. Aos oito, Fernandinho ficou com a bola após bela troca de passes e bateu cruzado, mas Andrada defendeu. Seis minutos depois, nova triangulação dos visitantes: Ramiro recebeu lançamento de Arthur na medida e ajeitou de cabeça para Barrios, que não pegou em cheio.

A frustração do Lanús era evidente e foi traduzida nos dois cartões amarelos recebidos antes mesmo dos 20 minutos. A superioridade gremista era tanta, que silenciou a torcida mandante. E ela finalmente seria traduzida em gol aos 26 minutos.

Foi num erro argentino que o Grêmio abriu o placar. Após falta afastada pela defesa brasileira, José Gómez tentou recolocar o time argentino no ataque, mas pegou mal e entregou no pé de Fernandinho. Veloz, o atacante arrancou do meio de campo sem permitir a reação do lateral. De frente para Andrada, encheu o pé para balançar a rede.

O que já era um domínio claro gremista se transformou em uma aula. A marcação por pressão impedia qualquer ataque do Lanús. Em compensação, o time gaúcho envolvia o adversário em rápidas trocas de passes, quase sempre capitaneadas por Luan. E em uma delas, Edílson arriscou chute cruzado que parou nos pés de Ramiro, mas o meia jogou por cima.

Atordoado, o Lanús voltou a falhar aos 41 minutos. Jaílson recebeu no meio de campo, percebeu o erro de posicionamento da defesa e encontrou Luan sozinho na esquerda. O atacante até perdeu o tempo da bola no domínio, mas mostrou toda sua qualidade para cortar dois marcadores e dar belo toque por cobertura sobre Andrada. Um golaço para apagar de vez o adversário e colocar a mão na taça.

Se precisava do resultado, o Lanús deixou o primeiro tempo tendo realizado apenas uma boa jogada, já aos 43 minutos, quando Martínez tabelou com Gómez e bateu de dentro da área, por cima. Mas estava tão fácil para o Grêmio que o último momento seria dos visitantes. Após outra linda jogada de Luan, Barrios finalizou para fora.

No segundo tempo, o Grêmio tratou de diminuir o ritmo. Até pela impossibilidade física de manter a intensidade, recuou a marcação e passou a lutar por um contra-ataque, o que deu mais espaço ao adversário para criar. Aos 10 minutos, Acosta tabelou com Velázquez e bateu travado. A sobra ficou com Sand, que jogou rente à trave.

O duelo, porém, se desenrolava à maneira do Grêmio, sem grandes emoções. Até que aos 25 minutos, em uma rara desatenção da defesa, Acosta girou em cima da defesa e foi derrubado por Jaílson na área. O árbitro marcou pênalti, que Sand bateu com categoria, deslocando Grohe, para diminuir.

O Lanús até tentou colocar fogo na partida com o gol, mas o Grêmio manteve a calma e conseguiu controlar o ímpeto adversário. Aos 37 minutos, Ramiro se desentendeu com Marcone e foi expulso. Só que nem assim os argentinos conseguiram incomodar a meta de Grohe. Pelo contrário, foi Luan quem desperdiçou a chance de marcar o terceiro. Mas não faria falta. O título e a comemoração eram tricolores.

  • Criado em .

Jornal Agora

Rua Juca Leão, 65, Centro, Itabuna - BA
Telefones: (73) 3613-5504
Fundado em 28 de julho de 1981 Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

© Copyright 2009 / 2017 Jornal Agora   |   Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: